Somebody That I Used To Know

por - 10.7.15

 Hey pessoas um texto triste inspirado nessa música que amo, com os cantores fofos Gotye e Kimbra, espero que chorem gostem.


Estava sentada no chão da sala arrumando minhas caixas na casa nova e encontrei uma foto que há tempos não via. E as lembranças começaram a jorrar. Lembro me de quando pensei que aquilo duraria, quando eu dizia a mim mesma que era certo, que me fazia feliz. 

Mas hoje percebo que o amor, o nosso amor, me fazia sentir sozinha, mesmo estando perto de ti, mas era o amor que conhecia, o que eu poderia fazer? Aquilo era amor, certo?
Não. Não era. Eu me viciava em tudo que você me trazia: as alegrias e tristezas que a nossa relação me proporcionava. Então quando senti que não tínhamos nada a ver, porque o sentido não existia e que não era certo você disse que poderíamos ser amigos.
Sério? Amigos? Tudo bem. Foi o que eu disse, talvez eu tenha ficado contente que acabou.
Mas você mudou.
Você foi tão rude, me tratou como estranha na última vez que nos vimos, eu não merecia isso. 
Quebrou todas as pontes que me ligavam a você, me tratando como uma qualquer e fazendo todos acreditarem que o que tínhamos era um nada. Fez seus amigos, que já foram meus também, recolherem suas coisas e foi como se você nunca tivesse existido. 
O apartamento ficou vazio e silencioso. Silêncio palpável que entupia minhas veias, já não poderia mais ficar ali, os dias passavam e eu perdia você a cada hora, confundindo lembranças com sonhos. 
A realidade era paralela, na maioria das vezes eu tomava um remédio que me fazia dormir por horas, senão dias, para ter você perto de mim. Eu já não me conhecia. 
Eu poderia morrer que sei que para você não iria fazer diferença, pois eu sou só um alguém que você conheceu. Eu fui.
Me pergunto se faço falta ou se algo o faz lembrar de mim enquanto tiro os objetos de uma caixa, a fotografia, não tão esquecida, ficou no chão. E a resposta é soprada no meu ouvido. Não. Nós somos nada um para o outro. Uma mera lembrança de algo que, talvez, não devia ter acontecido. Um erro. Um destino sacana. Uma verdade sustentada por uma mentira bem planejada.
E olhando para a única coisa que comprova que você realmente existiu, eu dou de ombros, não faz mais diferença, estou feliz que tenha acabado. Estou feliz por ter recomeçado. 
Sei que agora você foi apenas alguém que conheci, então pego a fotografia do chão e a rasgo.
Alguém que eu preferia não ter conhecido.


posts relacionados

0 comentários

Hey, seja muito bem-vindo(a)! Fique à vontade para comentar e obrigada pela visita.
Abraços!!
@quaseoutono